7 Mitos sobre os carrapatos

SAÚDE & PROTEÇÃO

  • 11 nov, 2019
  • LEITURA DE 5 MIN
  • 11/11/2019
  • LEITURA DE 5 MIN

7 Mitos sobre os carrapatos

Os carrapatos são criaturas minúsculas e perigosas cuja existência inteira depende de fixar-se em seres vivos que respiram como seu cão e até mesmo família – e consumir uma refeição de sangue.

Soa bastante vampiresco, não? Talvez seja por isso que essas pequenas criaturas sejam circundadas por tantos mitos gigantescos – as pessoas tendem a criar e especular histórias quando têm medo de algo ou não compreendem, ainda mais quando o perigo está próximo.

Se você já teve o desprazer de lidar com carrapatos, então sabe: os carrapatos não são criaturas que se consegue remover facilmente. Quanto mais você sabe, mais fácil será entender por que você vai querer prevenir ao invés de remediar.

Mito #1: Todos os carrapatos são iguais

Existem aproximadamente 899 espécies diferentes de carrapatos no mundo. Eles são divididos em dois grupos distintos – carrapatos duros e carrapatos moles.

Os carrapatos duros têm uma casca grossa atrás das peças bucais e seu formato é como o de uma semente achatada. Os carrapatos moles são destituídos de casca grossa e seu formato é como o de uma uva-passa, embora possam ser facilmente confundidos com as fêmeas do carrapato duro totalmente alimentadas, que também parecem uma uva-passa gorda cinza. Embora todos os carrapatos representem um problema, os carrapatos duros são os tipos que você, seus amigos de quatro patas e sua família vão provavelmente encontrar.

O carrapato marrom do cão, que é encontrado em todo o mundo, juntamente com o carrapato do cão americano, o carrapato estrela, o carrapato da perna preta ou do veado, que são nativos dos Estados Unidos, são carrapatos duros que representam uma ameaça grave quando se agarram e começam a se alimentar.

Mito #2: Os carrapatos não conseguem sobreviver dentro de casa por longos períodos

O carrapato marrom do cão, às vezes chamado de carrapato do canil, subsiste dentro das casas e edifícios. O ciclo de vida dele é diferente do de todos os outros carrapatos, pois ele pode sobreviver e desenvolver-se dentro das casas.

Isto significa que o carrapato marrom do cão pode estar presente e ativo em climas mais frios, embora ele prefira climas quentes. É encontrado principalmente dentro de canis ou residências que tenham cães. Esse carrapato se esconde em rachaduras, embaixo de tapetes e da mobília e em cortinas e paredes. Depois de se alimentar, uma fêmea do carrapato marrom pode botar até 5.000 ovos.

mitos-carrapatos

Mito #3: Os carrapatos só transmitem a doença de Lyme

A lista de doenças transmitidas pelo carrapato é extensa <LINK PARA O ARTIGO SOBRE AS DOENÇAS TRANSMITIDAS PELO CARRAPATO>. Além da doença de Lyme, os carrapatos podem portar e transmitir Anaplasmose, Ehrliquiose, Babesiose, Bartonelose Canina, Hepatozoonose Canina Americana, Citauxzoonose, Micoplasmose Hemotrópica e a Febre Maculosa, entre outras doenças. Pode haver mais de 100 infecções transmitidas pelo carrapato conhecidas.

O risco de infecção não está restrito a cães e gatos – você e sua família podem estar também em risco. Os sinais e sintomas iniciais das doenças transmitidas por carrapatos podem ser similares tanto para os animais como humanos – letargia, febre, perda do apetite, dor nas articulações, fraqueza – e essas doenças podem se agravar e rapidamente se tornar mais sérias.

Por isso é essencial proteger seu cão, seu gato, sua família e você mesmo dos carrapatos. É preciso algum tempo de alimentação para ele transmitir uma doença, talvez até 48 horas para um carrapato infectado transmitir a doença de Lyme, por exemplo. Os carrapatos podem transmitir mais de uma doença durante uma alimentação ao longo de vários dias.

Mito #4: Se você não pode ver um carrapato, então ele não é um problema

Alguns carrapatos são tão pequenos que geralmente não são vistos. Embora eles sempre representem um grande problema, o problema fica ainda maior quando o carrapato se afasta. Após se alimentar e acasalar, as fêmeas adultas caem de seu hospedeiro e botam ovos. Diferentes espécies de carrapatos botam diferentes números de ovos, mas esse número é normalmente na casa dos milhares.

Os ovos irão mais tarde desenvolver-se em larvas e ninfas, antes de mudar para carrapatos adultos.

Mito #5: Os carrapatos caem das árvores e pulam nos animais de estimação

Os carrapatos não conseguem correr ou saltar, mas eles não caem aleatoriamente em um hospedeiro. Os carrapatos vivem em áreas úmidas e sombreadas. Eles tendem a se pendurar em gramas altas e folhagem baixa aguardando um hospedeiro passar.

Quando sentem a vibração, calor e dióxido de carbono de um hospedeiro, eles estendem suas duas patas frontais para se agarrar no animal que está passando. Isso geralmente acontece quando um animal ou uma pessoa roça em relvas altas, folhas baixas e galhos cortados. Quando um carrapato se fixa em um hospedeiro, ele encontra um local preferido para se alimentar e pode geralmente consumir uma refeição inteira de sangue sem ser notado.

Mito #6: Os carrapatos são um problema apenas nas estações quentes

Os carrapatos subsistem durante todo o ano. Quando a temperatura cai eles estão ao ar livre, e se escondem no subsolo e nos alicerces das casas para hibernar. Assim que a temperatura sobe acima, eles saem da hibernação em busca de uma refeição.

Considere com que probabilidade você leva seu cão ao parque em um dia morno do inverno e então lembre-se de que você e seu cão não são as únicas criaturas que querem brincar ao ar livre quando está mais quente — os carrapatos também. Por outro lado, os carrapatos que moram dentro de casa, tal como o carrapato marrom do cão mencionado antes, continuam ativos em local fechado, 24 horas por dia,7 dias por semana, 365 dias por ano.

New call-to-action

Mito #7: Os animais de estimação criados dentro de casa não precisam de prevenção contra carrapatos

Como todos os outros mitos relacionados aqui, isso simplesmente não é verdade. Os carrapatos podem facilmente se fixar em um animal de estimação criado dentro de casa, como um gato. Embora os carrapatos tendam a se fixar e imediatamente começar a consumir uma refeição, eles também podem pegar uma carona para dentro de casa na roupa ou sapatos enlameados.

<LINK PARA O ARTIGO SOBRE ONDE OS CARRAPATOS FICAM EMBOSCADOS>. Assim que um carrapato entrar em sua casa, ele buscará ativamente um hospedeiro. A sobrevivência dele depende de consumir uma refeição de sangue.

Então, o que você pode fazer para se preparar para enfrentar os carrapatos? Você pode dar tratamentos efetivos que impeçam que eles se transformem em acessórios de seu animal de estimação.

Converse com seu veterinário sobre como o Bravecto oferece proteção duradoura contra os carrapatos. Quando esse parasita tenta consumir uma refeição de sangue em um animal protegido pelo Bravecto, ele morre quando tenta se alimentar.

Isso significa que seu cão não ficam expostos a doenças sérias que um carrapato infectado pode transmitir com uma única picada. Você pode sair na frente, e proter proativamente seus amigos peludos.