Com que frequência um gato deve ir ao veterinário?

SAÚDE & PROTEÇÃO

  • 3 abr, 2019
  • LEITURA DE 5 MIN
  • 03/04/2019
  • LEITURA DE 5 MIN

Com que frequência um gato deve ir ao veterinário?

Os gatos são criaturas tão independentes, que muitas pessoas presumem que, desde que sejam alimentados regularmente, eles não necessitarão de nenhum outro cuidado. Isso pode explicar por que os cães têm duas vezes mais chances de serem levados ao veterinário do que os gatos.

No entanto, em diferentes idades e fases, os gatos precisam de cuidados veterinários — e uma boa assistência médica é importante na vida do seu querido animal de estimação.

Dando ao filhote uma boa vantagem inicial

Graças aos anticorpos que os gatinhos recém-nascidos recebem do leite de suas mães, eles adquirem uma proteção temporária contra doenças infecciosas. Essa imunidade enfraquece à medida que o filhote cresce e, então, os gatinhos precisam de vacinas para doenças como panleucopenia, doenças respiratórias das vias superiores e raiva.

Os gatos devem ser vacinados com cerca de oito semanas, recebendo reforços repetidos em intervalos de três ou quatro semanas, de acordo com a recomendação do veterinário. A vacina contra a raiva geralmente é administrada quando o animal completa 12 semanas de vida.

Os veterinários podem recomendar que gatos que corram risco de infecção pelo vírus da leucemia felina iniciem essas vacinas a partir das nove semanas de vida. Consulte o seu veterinário sobre as vacinas recomendadas.

Essa visita inicial também é a oportunidade ideal para discutir quando realizar a esterilização ou castração e a aplicação do microchip.

um-gato-deve-ir-ao-veterinario

Exames clínicos anuais para gatos

Gatos adultos podem mascarar sinais de doenças e, mesmo aqueles que nunca saem, podem se beneficiar de exames regulares para confirmar se estão bem. Examinando seu gato do nariz à cauda, o veterinário é capaz de observar mudanças que podem indicar problemas de saúde. O diagnóstico e o tratamento precoces são fundamentais para devolver um animal à sua saúde plena o mais rápido possível.

Vacinas regulares são importantes para reforçar o sistema imunológico do seu gato e ajudar a combater doenças infecciosas. A American Association of Feline Practitioners (Associação Norte-americana de Profissionais para o Tratamento de Felinos) faz recomendações de vacinas com base nos tipos de riscos à saúde que um gato enfrenta.

Gatos idosos merecem cuidados especiais

De acordo com a American Animal Hospital Association (Associação Norte-americana de Hospitais Veterinários), após o gato chegar aos sete anos de vida, ele é considerado um idoso. Exames clínicos regulares ajudam a garantir as melhores condições de saúde possíveis.

Lembre-se de que mudanças que indiquem problemas de saúde subjacentes podem ser sutis.

Sinais que devem ser observados

Independentemente da idade, sempre que seu animal de estimação mostrar algum sinal que chame a sua atenção — talvez um dos listados a seguir —, você deverá entrar em contato com o seu veterinário para discutir um exame de saúde.

  • Tosse, espirros, coriza
  • Aumento ou redução de apetite, sede, micção, evacuação
  • Vômito
  • Uivos
  • O animal se lambe excessivamente
  • Mudanças no nível de atividade do animal
  • O animal se limpa excessivamente
  • Perda de pelos localizada
  • Perda de peso
  • O animal perde os hábitos do treinamento sanitário

DICA: as visitas ao veterinário ficam muito mais fáceis quando o seu gato aprende que a caixa de transporte é um lugar para brincar com seus brinquedos ou onde ele recebe petiscos.

Principais tópicos para discutir com o seu veterinário durante exames clínicos

Uma visita ao veterinário é uma oportunidade para falar sobre todos os aspectos da saúde do seu animal de estimação. Faça uma lista antes de ir, e inclua anotações sobre qualquer alteração incomum observada, incluindo comportamento, dieta ou aparência. Uma lista ajudará você a aproveitar a visita ao máximo!

Cães e gatos se beneficiam muito de exames físicos anuais realizados por um veterinário. Visitas a um profissional são uma medida preventiva importante para uma vida longa e saudável. Exames regulares também podem detectar sinais de alerta precoces, antes que problemas de saúde se tornem evidentes para você.

  • Informações sobre um novo animal de estimação: várias informações devem ser compartilhadas ao levar o seu novo animal de estimação ao veterinário. A equipe administrativa registrará as informações iniciais, e o veterinário coletará detalhes importantes sobre o histórico do seu novo animal de estimação.
  • Saúde geral: durante o exame, o veterinário verificará a saúde geral e perguntará sobre os hábitos e o nível de atividade do seu animal de estimação. Essa é uma boa chance para perguntar sobre algo incomum que você tenha observado; lembre-se de verificar suas anotações.
  • Fezes: o consultório do veterinário poderá pedir que você leve uma amostra de fezes para a realização de testes de parasitas. Recolha uma amostra fresca e utilize um recipiente adequado.
  • Proteção contra parasitas: converse com o veterinário sobre como proteger seu animal contra parasitas e contra doenças transmitidas por parasitas. Dependendo do local onde você mora e da época do ano, determinados parasitas poderão ser mais comuns. Por exemplo, o verão é a estação dos mosquitos, então talvez seja interessante se informar sobre a dirofilariose. No outono ou na primavera, o controle de carrapatos pode ser prioritário. Independentemente da estação, a dirofilariose e o controle de carrapatos e pulgas são tópicos importantes o ano todo, especialmente dependendo da região onde você vive com seus animais de estimação.
  • Vacinas: o seu veterinário poderá recomendar a vacinação durante o exame anual. As vacinas podem incluir proteção contra cinomose, adenovírus e parvovírus para cães, e vírus do herpes, calicivírus e panleucopenia para gatos. Um reforço regular contra a raiva pode ser necessário, dependendo dos protocolos locais. Outras vacinas também podem ser necessárias, com base no estilo de vida do seu animal de estimação. Esse é um bom momento para pedir ao seu veterinário recomendações de vacinas contra doenças como leptospirose, doença de Lyme, Bordetella (“tosse dos canis”), parainfluenza e influenza canina para cães, e leucemia felina, clamídia e Bordetella felina para gatos.

com-que-frequencia-um-gato-deve-ir-ao-veterinario

As vacinas essenciais normalmente incluem:

Vacinas “essenciais” são aquelas fortemente recomendadas devido ao risco de um gato se deparar com a doença.

  • Panleucopenia felina (por vezes chamada de cinomose felina)
  • Calicivírus felino
  • Vírus do herpes felino tipo I (também denominada rinotraqueíte viral felina)
  • Raiva

Pergunte ao seu veterinário sobre as opções adicionais de vacinas que podem proteger o seu animal de doenças graves. Leia a seção a seguir para obter mais informações sobre outras opções de vacinação.

As opções adicionais de vacinas para gatos incluem:

Vírus FeLV (Leucemia felina)

Esse é um risco infeccioso potencial para muitos gatos. A infecção pelo vírus da leucemia felina pode enfraquecer o sistema imunológico dos gatos e aumentar o risco de outras infecções. Esse vírus pode causar câncer ou distúrbios sanguíneos de forma direta. O FeLV é transportado pela saliva, secreções nasais, urina, fezes ou pelo sangue dos gatos infectados. Os gatos podem ser infectados através de:

  • Asseio mútuo
  • Compartilhamento de recipientes de comida ou água
  • Feridas devido a mordidas ou brigas com outros gatos
  • Os filhotes podem contrair FeLV da mãe infectada

Tosse e espirros de gatos infectados ou, até mesmo, mãos, roupas e superfícies contaminados podem infectar o seu animal de estimação.

O seu gato está em risco?

Seu gato corre maior risco se:

  • For um filhote
  • Costuma ficar ao ar livre, mesmo que apenas de vez em quando
  • Entra em contato com outros gatos
  • Compartilha sua casa com outros gatos

Converse com o seu veterinário sobre testes e vacinas contra FeLV e se informe sobre os riscos aos quais o seu gato pode estar exposto.

New call-to-action

Infecções bacterianas das vias respiratórias superiores

Bordetella e Chlamydia são bactérias infecciosas que podem causar sintomas respiratórios e/ou olhos lacrimejantes em gatos. Se não for tratada, a infecção pode evoluir para um problema mais grave, como pneumonia. Tosse e espirros de gatos infectados ou contato com mãos, roupas e superfícies contaminados podem infectar o seu animal de estimação.

O seu gato está em risco?

Seu gato corre maior risco se:

  • Entra em contato com outros gatos (fazenda, abrigo, pet shop, casa com vários gatos)
  • Vive em uma casa com vários gatos ou tem contato frequente com novos gatos

Pergunte ao seu veterinário sobre vacinas contra infecções das vias respiratórias superiores em felinos.

Facilitando a visita ao veterinário

Fazer visitas regulares ao veterinário ajudará o seu animal a continuar saudável e permitirá que o profissional identifique pequenos problemas antes que eles se tornem graves.

Veja a seguir algumas sugestões para tornar a experiência o mais tranquila e livre de ansiedade para o seu gato e para você.

Para você

Pergunte ao atendente sobre os horários em que o consultório provavelmente estará mais tranquilo.

Chegue alguns minutos antes e entre para fazer o registro, deixando o gato no carro — mas tome cuidado se o dia estiver quente e fique atento, pois o animal pode pular a janela, caso ela seja deixada aberta. Se cheiros, objetos, sons, pessoas e animais na sala de espera puderem assustar o seu gato, pergunte na recepção se há um lugar mais silencioso para vocês esperarem, talvez uma sala de exames desocupada.

Se for a primeira visita a um novo veterinário, leve uma cópia dos registros médicos do seu animal de estimação. Uma explicação clara dos motivos da visita e qualquer comportamento sobre o qual você tenha dúvidas ajudará você a aproveitar ao máximo a visita.

Faça anotações durante a visita. Se tiver dúvidas sobre as instruções de cuidados fornecidas ou sobre os medicamentos recomendados, pergunte.

Para o seu gato

De acordo com a American Veterinary Medical Association (Associação Norte-americana de Médicos Veterinários), a maioria dos donos de gatos concorda que exames clínicos de rotina e cuidados preventivos são importantes; ainda assim, menos da metade leva seus gatos ao veterinário regularmente.

Um dos principais motivos é que a maioria dos gatos apresenta desconforto antes mesmo de chegar ao consultório veterinário. Muitos felinos ficam irritados ao serem colocados em caixas de transporte, com o trajeto de carro e, depois, com a sala de espera, onde ficam cercados por criaturas desconhecidas.

Mas há algumas maneiras de tornar a visita ao veterinário menos estressante:

  • Corte cuidadosamente as unhas do seu gato antes da consulta
  • Forre a caixa de transporte com uma toalha, para que o seu gato possa se enrolar nela
  • Leve um pano para cobrir a caixa de transporte no carro e na sala de espera
  • Mantenha o animal na caixa de transporte até entrar na sala de exames reservada